Maio/2021

As apólices de seguro de automóveis atualmente, são personalizadas, ou seja, cada contrato é baseado nas informações prestadas pelo proprietário/usuário do veículo no momento da contratação. Em razão disto, ao solicitar um orçamento de seguro, o Corretor vai te pedir além do ano e modelo do veículo, várias informações como: CPF, data de nascimento, CEP de residência ou local de pernoite do veículo, utilização (se lazer ou trabalho) e se existem outros condutores que utilizam o veículo etc.

Todas estas informações são utilizadas para compor o preço do seguro, portanto, em caso de sinistro a veracidade destas informações serão vitais para um ressarcimento rápido e sem burocracia. É importante frisar que no momento da apuração do sinistro, havendo divergências destas informações, o pagamento poderá ser prejudicado. Fique muito atento na hora de fornecer estas informações. Veja as principais questões e a razão de refletirem no preço do seguro.

Estado civil

Geralmente os condutores casados apresentam menor frequência de sinistros, isso é o reflexo de uma rotina mais conservadora na utilização do veículo, é notório que, ao se casar, haja uma mudança na vida social reduzindo a exposição do veículo. Outro fator notado, é a condução mais cautelosa em razão da presença de crianças no veículo. Estes e outros fatores, contribuem para uma redução significativa nos índices de sinistros.

CEP de residência e pernoite

A incidência de roubo e furto de veículos, muda de acordo com a região. Estes números são medidos pelos órgãos públicos de segurança, através da incidência dos Boletins de Ocorrência que são registrados diariamente. As Seguradoras possuem estas estatísticas e utilizam na precificação do seguro.

Possui garagem fechada para o veículo?

O risco de roubo de um veículo que pernoita na rua, é bem maior do que o de um veículo guardado em garagem fechada, portanto, quem tem garagem, terá redução no valor do seguro.

Existem condutores de 18 a 25 anos de idade?

Estas questões costumam gerar muitas polêmicas, pois muitos acham que os condutores mais jovens são irresponsáveis, isso não é verdade, até porque, atualmente a preparação e treinamento para conseguir uma habilitação está bem mais complexa. O que ocorre é que os jovens geralmente tem uma vida mais ativa, sendo comum utilizarem mais os veículos em razão do trabalho, faculdade e eventos sociais. Isso tudo aumenta a exposição do veículo e, automaticamente, a frequência de sinistros.

Utiliza o veículo de forma particular ou profissional?

Um veículo que é utilizado somente para lazer e ida e volta ao trabalho, tem menos exposição ao risco que um veículo utilizado durante todo o dia, seja para visitar clientes, fazer entregas ou uso de aplicativos. Esta informação altera não somente a precificação do seguro, bem como influenciará na aceitação do seguro.

Portanto, fique muito atento a estas situações para não ter problemas na hora de receber uma indenização.

Converse com nossos consultores, eles estão preparados para orientá-los nestas dúvidas e garantir uma indenização rápida e segura.
Tel.: 11 3226.9700 – E-mail: centralauto@vilavelha.com.br


Instagram | Facebook | www.vilavelha.com.br